Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.

Início do conteúdo
Página inicial > Últimas > CEEE participa de evento para alertar sobre risco na rede elétrica

CEEE participa de evento para alertar sobre risco na rede elétrica

CEER alerta para riscos
Há ainda orientações sobre o uso consciente e seguro da energia elétrica - Foto: Reproduão - Download HD (219,00 kB)

A CEEE Distribuição está integrada nas ações de alerta à população para evitar riscos com a rede elétrica durante a 11ª Semana Nacional da Segurança/Campanha de Uso Consciente de Energia Elétrica que ocorre ao longo desta semana no país. A finalidade o trabalho, coordenado pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) e promovido pelas concessionárias de energia elétrica, é alcançar cerca de 206 milhões de pessoas, com a adesão das 47 empresas associadas à Abradee.

Conforme dados da Abradee, anunciados nessa quinta-feira (24) em coletiva à imprensa, o número total e acidentes da população brasileira envolvendo a rede de energia elétrica vem caindo nos últimos anos. Desde que a entidade começou a fazer o monitoramento, em 2001, houve uma queda gradual, ano a ano, atingindo 26%. O percentual de ocorrências de maior gravidade, com episódios fatais, desceu mais ainda: 37% nos últimos 16 anos, mas só do ano passado pra cá, a redução foi de 9%. A menor taxa de incidências revela o resultado das campanhas de conscientização que as distribuidoras têm feito junto à população, com o reforço em ações focais direcionadas às principais causas.

A cada ano, as distribuidoras reforçam as ações da campanha com base nos tipos de acidentes mais comuns motivados pelo contato da população com a rede elétrica. Com o slogan Energia Elétrica com Consciência, a iniciativa conscientiza para prevenir, e neste ano, chama a atenção para cinco situações do dia a dia das pessoas que têm sido as principais razões dos incidentes: construção/ manutenção predial; ligações clandestinas; pipa; instalações de antena de TV; e poda de árvore.

Segundo o presidente da Abradee, Nelson Fonseca Leite, a apuração dos números e tipos de acidentes dos usuários com a rede elétrica é uma ação de extrema importância, pois, além de fazer o controle dos casos, também ajuda no direcionamento das estratégias das campanhas de conscientização e prevenção de novas ocorrências. “Vemos os resultados deste trabalho ao observar que de 2009 a 2016, tivemos uma redução total de óbitos em todos os tipos de ocorrência que integram os temas da Campanha”. 

Principais dicas da Campanha 2017 

Antena de TV: ao instalar ou consertar antenas, cuidado com a rede elétrica. Escolha um lugar afastado dos fios, observando quando o tempo estiver bom, sem chuva. Caso a antena caia na fiação, nunca tente segurá-la ou recuperá-la. 

Área Rural: mantenha distância da rede elétrica ao usar máquinas agrícolas. Esteja sempre atento para evitar acidentes com máquinas agrícolas movimentadas próximas da rede elétrica. E nunca faça queimadas, nem deixe a vegetação chegar perto dos fios e postes. 

Poda de árvores: nunca faça poda de árvores que estiverem próximas ou em contato com as redes elétricas. Entre em contanto com a prefeitura de sua cidade e solicite o serviço. A poda de árvores é um serviço que deve ser realizado somente por profissionais preparados e qualificados. 

Pipas: sempre empine pipas em locais abertos e afastados da rede elétrica. Jamais use fios metálicos ou cerol, e caso a pipa fique presa, não tente resgatá-la. Estas orientações devem ser reforçadas junto às crianças. 

Construção ou Manutenção Predial: ao construir ou reformar, mantenha uma distância segura da rede elétrica, principalmente ao movimentar materiais metálicos, como barras de ferro e arames. Consulte sempre um profissional capacitado para este tipo de serviço ou a sua distribuidora. 

Ligação Clandestina (Gato): ligações da rede elétrica, somente pelo eletricista de sua distribuidora de energia. Furtar energia é muito perigoso. Além de ser um crime, provoca acidentes e coloca vidas em risco. 

 

Dados do levantamento

No total, foram registrados pelas distribuidoras de energia 773 acidentes em todo o país no último ano (7 a menos do que em 2015). Desses, 240 foram de maior gravidade, em situações que ocasionaram a morte das vítimas (no ano anterior, haviam sido registrados 23 casos a mais). As distribuidoras apontaram na pesquisa 14 tipos diferentes de ocorrências provocadas pelo contato das pessoas com a fiação elétrica, além dos principais já mencionados acima.

Assim como nos anos anteriores, o principal responsável pelas mortes ocasionadas pelo contato com a rede de energia é a construção/manutenção predial, com 33% dos casos no último ano. O presidente da Abradee explica que, neste caso, as situações mais comuns ocorrem em obras residenciais informais, os ditos 'puxadinhos'.

Nos últimos oito anos (2009 a 2016) 669 pessoas morreram em situações como esta. Já as ligações elétricas clandestinas, o famoso 'gato', é a segunda maior causa de mortes em acidentes com a rede. O segundo lugar nesta lista também revela a recorrência deste tipo de acidente, tendo em vista que nos anos anteriores, embora com um número menor, também figurava na mesma posição. No período de 8 anos, dee 2009 a 2016, 271 pessoas morreram por contato com os fios ao tentar fazer ligações clandestinas.



No mesmo período, foram registradas 133 mortes por conta do contato das vítimas com a fiação enquanto instalavam antena de TV; 113 pessoas morreram enquanto faziam poda de árvores, e 58 enquanto empinavam pipa. 

Em relação aos acidentes fatais, entre 2015 e 2016, dentro das situações abrangidas pela campanha, foram registrados 80 casos motivados por construção/manutenção predial; 20 por ligação elétrica clandestina; 13 pode poda de árvore; oito em instalações de antena de TV; e cinco em brincadeiras de empinar pipa. Em relação às taxas de gravidade e de frequência dos acidentes (incluindo os fatais), de 2015 para 2016, foram registrados 5% a menos de incidentes com alta gravidade. A frequência praticamente se manteve a mesma, com uma leve queda.

 

Dados por região e as principais causas

Ao observar os dados nacionais com as principais causas abordadas pela campanha, verifica-se que a situação se repete no levantamento por região, destacando a construção/manutenção predial e a ligação elétrica clandestina como os protagonistas deste cenário. Nos últimos oito anos (de 2009 a 2016) a região Norte contou com 8% dos incidentes fatais com a rede elétrica do país, ocorridos construções/manutenções prediais; o Nordeste registrou 28% das mortes nestas mesmas circunstâncias, o Sudeste 48%; a Região Sul 10%; e a Região Centro-Oeste contou com 6% dos casos.

No mesmo período, a ligação elétrica clandestina vitimou de modo fatal 271 pessoas no Brasil, dos quais 30% dos casos foram registrados na Região Norte; 27% no Nordeste; 22% no Sudeste, 14% no Centro-Oeste; e o Sul contou com 7% deste tipo de ocorrência no país. Ainda analisando os casos neste período de oito anos, envolvendo os cinco principais tipos de acidentes abordados pela campanha, o total número de pessoas que morreram no Brasil foi de 1.244. O dado foi de 181 na Região Norte (que conta com 9% da população brasileira); 344 no Nordeste (28% dos habitantes); 484 no Sudeste (42% dos habitantes); 132 no Sul (14%); e 103 no Centro-Oeste (7%).



CLIQUE AQUI  para acessar as dicas de Alerta 

Texto: Mara Ione Guerra de Medeiros/Ascom Grupo CEEE
Edição: Léa Aragón/ Secom


Endereço da página:

Compartilhar:

Governo do Estado do Rio Grande do Sul