Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.

Início do conteúdo
Página inicial > Últimas > Governo financia construção de nova usina de biomassa em São Sepé

Governo financia construção de nova usina de biomassa em São Sepé

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL 20.07.2017: O governador José Ivo Sartori assinou, nesta quinta-feira (20), no Palácio Piratini, um contrato de financiamento com a empresa Sepé Geração de Energia para a construção de uma usina termelétrica. O projeto conta um investimento de R$ 48 milhões e tem capacidade para atender 24 mil habitantes, gerando cerca de 275 vagas de emprego na região de São Sepé. Foto: Karine Viana/Palácio Piratini.
Contrato foi celebrado por Sartori e o presidente do BRDE, Odacir Klein, em solenidade no Palácio Piratini - Foto: Karine Viana/Palácio Piratini - Download HD (1,32 MB)

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) financia, a partir desta quinta-feira (20), a construção de uma nova usina termelétrica com geração de energia a partir da casca de arroz, em São Sepé. O investimento de R$ 46,9 milhões no Jacuí-Centro deve gerar emprego e renda, além de ajudar o meio ambiente ao consumir adequadamente cerca de 70 mil toneladas de resíduos ao ano. O contrato foi celebrado pelo governador José Ivo Sartori e o presidente do BRDE, Odacir Klein, em solenidade no Palácio Piratini. 

Sartori acredita que a conquista do financiamento que prevê a destinação correta dos resíduos do arroz deva ser celebrado pelo município e região. “Estamos falando de cerca de 300 novos empregos. Isso significa criar condições para o desenvolvimento, em sintonia com a preservação do ambiente. O momento é de travessia, é um tempo de mudança e transformação. As nossas ações miram em um Estado diferente, que olhe e pense em todos”, disse. 

Agenda positiva

A assinatura soma-se às agendas positivas do governo do Estado, como a liberação de R$ 3 bilhões para 91 projetos de pequenas centrais hidrelétricas, na semana passada; a formação de mais de mil novos soldados da Brigada Militar até o final desta semana; e o incentivo de R$ 12,5 milhões para a suinocultura do Vale do Caí, também financiados pelo BRDE. 

A usina com capacidade de 8MW será suficiente para abastecer perto de 31 mil domicílios, onde de cem mil a 120 mil pessoas serão beneficiadas. A instalação poderá atender a toda cidade de São Sepé, que possui cerca de 24 mil habitantes. A usina vai gerar receita indireta também para mais de 5 mil famílias de cooperativas que tratam a matéria-prima como resíduo, como a Cooperativa Tritícola Sepeense, que possui cerca de 5 mil associados, e a Caçapavana (Cooperativa Tritícola), que tem 1,5 mil envolvidos.

“Com esse financiamento, a casca de arroz, que é um resíduo poluente, passa a ser aproveitado para a geração de energia, acrescentando valor para a indústria do arroz e respeitando o meio ambiente. Um investimento com reflexo em várias áreas, pois o emprego e renda vão gerar mais tributos e isso reflete em serviços públicos de maior qualidade”, disse Odacir Klein. 

Empregos diretos e indiretos

A agência de investimento financia R$ 35,2 milhões do total de R$ 46,9 milhões que a empresa Sepé Geração de Energia está colocando na obra. “Estamos na fase da construção civil e devemos receber os primeiros equipamentos para montagem, a partir do mês de agosto, e concluir até o final do ano ou começo de 2018”, garante o presidente da empresa, João Alderi Prado, que prevê a faixa de até 300 pessoas empregadas temporariamente na construção e mais 25 empregos diretos e outros indiretos, na operação, que envolve também o transporte da casca. 

Segundo o prefeito de São Sepé, Leocarlos Girardello, o município trabalha com o projeto da usina de biomassa desde 2013 para favorecer a cadeia do arroz da região. “Este é um momento histórico para o desenvolvimento da região. O resultado da união de esforços e parcerias está aí (com o empreendimento). Precisamos empreender para a mudança que nosso estado precisa”, afirmou. 

Quando entrar em operação, a usina vai queimar 70 mil toneladas de casca de arroz ao ano e gerar 60 milhões kWh por ano. A energia será comercializada durante 20 anos, conforme leilão de energia já realizado, para 28 concessionárias de distribuição de energia do Brasil. Acompanharam a solenidade secretários estaduais, deputados, representantes de entidades e produtores de arroz.