Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.

Início do conteúdo
Página inicial > Últimas > Operação Cedrales captura maior fornecedor de drogas do Sul do país

Operação Cedrales captura maior fornecedor de drogas do Sul do país

Operação Cedrales captura fornecedor de drogas do Sul do país
Operação Cedrales captura fornecedor de drogas do Sul do país - Foto: Divulgação/Polícia Civil - Download HD (490,00 kB)

Em coletiva de imprensa realizada na manhã deste sábado (15), a Polícia Civil apresentou o resultado da Operação Cedrales e a prisão do maior abastecedor e distribuidor de maconha para o Rio Grande do Sul e com negócios em outros estados brasileiros.

Com uma ação precisa, sigilosa e de alto risco, a Polícia Civil, por meio da 1ª Delegacia de Investigações do Narcotráfico (DIN/Denarc) e do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos (GIE), capturou o suspeito foragido desde 2013, na localidade de Los Cedrales, no Paraguai.

Após um ano e sete meses, a investigação apurou o paradeiro do suspeito considerado o principal narcotraficante do estado, acima, inclusive, de facções e outros líderes do tráfico de drogas. O preso tem relações diretas com lideranças do tráfico internacional, responsáveis por conhecidas facções do Centro do país.

De acordo com os delegados Mario Souza e Guilherme Calderipe, o preso tem negócios em todo país e vivia de forma discreta no Paraguai, onde atuava há cerca de 15 anos.

"Extremamente cuidadoso, ele não usava smartphones, trocava de carro todo mês e apenas usava linhas telefônicas paraguaias, uma por semana. Além disso, ele aprendeu a falar outras línguas e assim aumentou sua atuação no Paraguai", destacou Souza.

O delegado Calderipe contou que o suspeito tinha no Paraguai um porto particular com sete lanchas, nas quais enviava por vez e, em cada uma, cerca de 1,5 tonelada de maconha, que depois era transportada e distribuída por caminhões graneleiros.

Segundo os delegados, o preso começou a atuar na Zona Norte de Porto Alegre, onde foi pioneiro em crimes de homicídios violentos e práticas de esquartejamento. Ele também é suspeito de participação e liderança em roubos de grandes valores e, possivelmente, em tráfico de armas.

A logística da operação teve o apoio da Divisão de Apoio Aéreo (DAA), com o helicóptero da Polícia Civil gaúcha, da Polícia Nacional do Paraguai, da Polícia Civil do Paraná e da Polícia Rodoviária Federal.

Texto: Ascom Polícia Civil
Edição: Sílvia Lago/Secom


Endereço da página:

Compartilhar:

Governo do Estado do Rio Grande do Sul