Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.

Início do conteúdo
Página inicial > Últimas > Mostratec incentiva pesquisa científica e tecnológica no Rio Grande do Sul

Mostratec incentiva pesquisa científica e tecnológica no Rio Grande do Sul

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL 29.09.2016: A Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha lançou, na tarde desta quinta-feira (29), durante evento no Salão Negrinho do Pastoreio do Palácio Piratini, a Mostratec 2016. A feira de ciência e tecnologia ocorre entre os dias 25 e 28 de outubro na Fenac, em Novo Hamburgo. A Mostratec apresenta projetos de pesquisa de todo o Brasil e de outros países, além de eventos integrados, como o Seminário Internacional de Educação Tecnológica (SIET), Mostratec Júnior, Robótica Educacional e atividades esportivas e culturais. Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini
A pesquisadora Vitória Müller Gerstdisse Vitória foi reconhecida na solenidade com a Medalha Mérito Riograndense - Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini - Download HD (3,03 MB)

Espaço para estimular a iniciação científica e tecnológica e que vem se tornando um dos principais eventos educacionais do país, a Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec) 2016 foi lançada nesta quinta-feira (29), no Palácio Piratini. A feira é promovida pela Fundação Liberato Salzano.

A Mostratec 2016, que ocorre entre os dias 25 e 28 de outubro, no Centro de Eventos da Fenac, em Novo Hamburgo, reúne jovens cientistas do ensino médio e da educação profissional técnica e promove uma integração entre instituições de ensino, pesquisa e o meio empresarial. Este ano a mostra tem a participação de mais de 20 países, além de todos os estados da federação.

Para o governador José Ivo Sartori, a feira é uma mostra do talento e da capacidade do capital humano do Rio Grande do Sul. "O prazer pelo ensino e pelo aprendizado faz da curiosidade uma ferramenta para a evolução social. Só o saber pode salvar o mundo desta crise. Só o saber transforma e constrói. A cultura da transformação, científica, tecnológica, do saber e do amanhã é a grande moeda para o que temos pela frente", afirmou.

Segundo o diretor executivo da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, Léo Weber, a mostra, que é realizada há 30 anos, se consolida como a maior feira de ciências da América Latina. São expostos 640 projetos desenvolvidos em 13 áreas do conhecimento, dos quais 220 são de alunos do ensino fundamental, de 7 a 13 anos, que participam da Mostratec Júnior.

"A feira mostra que a discussão em torno de um problema pode fazer com que a disciplina tenha sentido na vida dos jovens. São alunos e professores que aprenderam a aceitar desafios. Tudo o que fazemos na mostra representa o ambiente que desejamos para fortalecer o protagonismo dos indivíduos em sociedade", ressaltou o diretor.

O secretário da Educação, Luís Alcoba, lembrou que o lançamento da mostra no Palácio Piratini é um reconhecimento pelo trabalho de todos que colaboraram para fazer da Fundação Liberato uma escola de referência. "A Mostratec é um orgulho para o estado. A escola que funciona bem é aquela que tem engajamento de toda a comunidade, só assim a educação vai para frente", assegurou.

Alcoba mencionou ainda o desafio de melhorar a qualidade do ensino no estado "e tornar a escola mais palatável, que os alunos sintam o aprendizado como útil para suas vidas”. Como exemplo, citou o projeto Escola Melhor, Sociedade Melhor em andamento e os investimentos em educação, que em 2015 chegou a 33,7% da receita do Executivo.

Participação na feira leva ao reconhecimento internacional

Após receber o Prêmio Killing de Tecnologia na edição do ano passado, a pesquisadora Vitória Müller Gerst participou como única representante brasileira na feira de ciências China Adolescents Science & Technology Innovation Contest (Castic 2016), em Xangai, e conquistou medalha de ouro na categoria Projetos Internacionais.

"Espero incentivar outros jovens a seguirem na área científica. A fundação foi a base pro desenvolvimento do projeto; lá eu aprendi que erramos muitas vezes e repetimos muitas vezes, mas o resultado com certeza são projetos que até hoje são mostrados na feira todo ano”, disse Vitória, que foi reconhecida na solenidade com a Medalha Mérito Riograndense.

A pesquisa premiada, sob orientação da professora Schana Andreia da Silva, desenvolveu um novo composto para a descelularização de tecidos e órgãos, processo que pode diminuir as chances de rejeição em transplantados.

Acompanharam a solenidade, a secretária de Políticas Sociais, Maria Helena Sartori; a secretária-adjunta da Educação, Iara Wortmann; o coordenador da Comissão Executiva da mostra, Paulo Renato Thiele; representantes de universidades e alunos e professores da Fundação Liberato.


Texto: Letícia Bonato
Edição: Denise Camargo/Secom 


Endereço da página:

Compartilhar:

Governo do Estado do Rio Grande do Sul